Motivação

gracethegreyhound

Eu noto que para os escritores a questão da motivação é de suma importância, quase tanto quanto para os ratos de academia (a de puxar ferro, não a universidade). Afinal, é um trabalho longo, duro, e viver longa e duramente com seu ego artístico na linha de fogo requer determinação. Uma vez abordando este tema com um web-colega que se queixava da sua motivação oscilante para dar continuidade à escrita de um romance, eu cunhei a seguinte analogia:

Suponha que você quer ser um corredor veloz, mais veloz do que é. Este é o seu objetivo. Eis o que provavelmente vai acontecer de acordo com as circunstâncias emocionais:

– Se você deseja ser um corredor veloz por puro desejo, você provavelmente treinará e evoluirá até o momento no qual este desejo oscile, no qual você sabotará seu treino e recuará alguns passos, além de evitar treinos complementares e coisas do tipo. Sua evolução será insignificante.

– Se você acha que tem que ser um corredor mais veloz, seja porque seu pai fez você prometer ou porque seus amigos são mais rápidos que você, você arranjará um milhão de desculpas para procrastinar o seu treino, que será associado com uma emoção ruim e muito desagradável quando executado. É bem possível que sua velocidade diminua com o traçar desta meta ou que fique como está.

– Se você gosta de correr, treinar será um prazer para você e a evolução virá naturalmente. Entretanto, você irá atingir um platô relacionado ao seu treino de corrida, e um aumento de carga ou treinos complementares abrandarão seu prazer, forçando-o à voltar ao seu treino costumeiro e perder em performance a fim de proteger seu gosto pela corrida. É possível que você não aguente a pressão de competições e afins. Sua evolução ocorrerá, mas para sempre será limitada.

– Agora, se todo dia no caminho para casa você for perseguido por um cão, um galgo bravo que corre atrás de você e morde sua perna, não faz diferença o quanto você goste de correr ou o quanto queira correr ou o quão chato for o condicionamento complementar. Você irá evoluir, esta evolução ultrapassará suas expectativas e seus limites serão redefinidos. Você não é mais um escravo da motivação.

Qual é o seu galgo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *