O Guerreiro das 4 Espadas

guerreiro das 4 espadas 2

Chefe Rodan ouviu o espanhol chegar muito antes de vê-lo, um chacoalhar assomando por entre a vegetação verde-escuro das margens do rio Marne. Iria ser mais um dia daqueles.

Do cinto do espanhol pendiam três bainhas cheias, além de uma presa às costas. Rodan ficou curioso. Resolveu ser educado. Acenou para o espanhol e fê-lo se aproximar. O homem tinha o sorriso automático de quem já havia conhecido pessoas demais. Rodan, sem rodeios, perguntou-lhe sobre as quatro espadas. Com um brilho no olhar, o espanhol as dispôs no chão como se fosse tentar vendê-las.

Ergueu a primeira espada e a desembainhou. Era curva como a lua crescente.

“Isto é uma cimitarra maltesa. Ela é feita para lutar próximo ao inimigo e desferir golpes rápidos. A curvatura permite que você retire a lâmina do corpo do inimigo sem perder o movimento. O problema dela é que não dá para estocar. Por isso… Esta é uma espada normanda. Uma bela peça. Perfeita tanto para estocar como para cortar armadura e carne, também para lutar sobre o cavalo. Porém, ao contrário da cimitarra, ela não é muito móvel. Por isso… O gládio romano. Sólido, ágil, leve, ideal para uma parede de escudos, para perfurar com velocidade. Claro que é um pouco curto. E essa…”

O espanhol tomou a espada que estivera presa às costas com as duas mãos, como se fosse uma relíquia. Rodan nunca tinha visto nada parecido.

“Esta vem das Terras de Fora, do oriente distante. Chamam-na de katana. É a união perfeita entre a curvatura, a leveza e o fio. Nunca os homens produziram arma igual. Ela vale mais do que uma dúzia de cavalos de raça pura. Só serei capaz de usá-la em último caso, quando a vitória for impossível e deus conspirar contra mim.”

Rodan esperou o espanhol repousar a espada oriental junto às outras. Enquanto o recém-chegado admirava a coleção como um pai admira os filhos pequenos, Rodan o empurrou, agarrou o pano sob as armas e as arrastou para perto do rio. O espanhol gritou. Rodan gritou de volta e atirou quatro as espadas na correnteza.

O espanhol caiu de joelhos. Rodan atirou para ele uma das duas espadas saxãs idênticas que trouxera.

“Esta será sua espada. Agora, deixe-me explicar sobre os quatro tipo de inimigos que teremos que enfrentar.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *